O FILHO DO REI


Era uma vez, em um país onde todos os homens eram como reis, vivia uma família que era plenamente feliz, em meio a um ambiente cujas características a linguagem humana não conseguiria descrever em termos de coisa alguma atá então conhecida pelo homem. Este país chamava-se Sharq e parecia satisfatório aos olhos do jovem príncipe Dhat. Um dia, seus pais lhe disseram:

- Querido filho, é costume em nosso país que cada príncipe da casa real, ao atingir certa idade, viaje a fim de se submeter a uma prova. Isto tem como objetivo prepará-lo devidamente para reinar. Um grau de nobreza que não se obtém de nenhum outro modo, será conseguido por meio de seu empenho e espírito de alerta. Na reputação e na realidade isto será obtido. Assim tem sido desde o princípio. Assim será feito até o fim.

O príncipe Dhat se preparou para a sua viagem. Sua família proporcionou-lhe para seu sustento o que podia: uma comida especial que o alimentaria durante seu exílio, que tinha pequeno volume mas continha inapreciável valor nutritivo.

Também lhe deram certos outros recursos, que não é possível mencionar aqui, que usados devidamente o protegeriam.

Devia viajar disfarçado a um certo país, chamado Misr. Sua família escolheu guias para a viagem e providenciou trajes adequados à sua nova condição. Roupas que guardavam pouca semelhança com a usada por alguém de sangue real. Sua missão seria resgatar certa jóia, guardada em Misr por um temível monstro.

Quando seus guias regressaram, Dhat se viu só, mas logo se encontrou com alguém que ali se achava cumprindo uma missão similar. Juntos, puderam manter viva a lembrança de suas origens. Mas, devido ao ar e à comida daquele país, uma espécie de sono logo os envolveu e Dhat se esqueceu de sua missão.

Durante anos viveu em Misr, ganhando a vida desempenhando uma função humilde, aparentemente alheio ao que deveria estar fazendo.

Graças a um recurso que lhes era familiar, mas desconhecido para outras pessoas, os habitantes de Sharq vieram a conhecer a lamentável situação de Dhat. Juntos agiram de um modo por eles conhecido, para ajudar a libertá-lo daquele encantamento e permitir que ele prosseguisse com sua missão. Por meio de um estranho expediente uma mensagem foi enviada ao jovem príncipe, dizendo: "Desperte, pois é filho de um rei, enviado em uma missão especial. Deve retornar a nós."

Essa mensagem despertou o príncipe Ele então conseguiu localizar o monstro. Graças ao emprego de sons especiais o fez adormecer e recolheu a jóia inestimável que ele guardava.

Em seguida, Dhat obedeceu aos sons da mensagem que o tinha despertado. Trocou suas roupas pelas de se país. Voltou então ao país de Sharq, sempre guiado pelo Som.

Decorrendo um tempo surpreendentemente curto, Dhat viu-se de novo contemplando suas antigas vestimentas e chegou ao seu lar no país de seus antepassados

Desta vez, no entanto, graças à experiência adquirida, pode ver que se tratava do mais esplêndido lugar e o mais seguro para ele. Percebeu que era aquele o lugar relembrado vagamente pela gente de Misr como Salamat , palavra que para eles significava Submissão, mas que agora ele podia compreender melhor: Significava paz.


 

 

VOLTAR PARA VER MAIS HISTÓRIAS >>>