O FILHO PRÓDIGO


Um homem tinha dois filhos. O mais moço disse ao pai:

"Pai, me dê a partes dos bens que me cabe".

O pai então repartiu os bens entre ambos os filhos.

Poucos dias depois, juntando tudo, o filho mais moço partiu para uma terra distante, e lá dissipou todos os seus bens vivendo de forma devassa. E depois de ter consumido tudo, houve naquele país uma grande fome e ele começou a passar necessidade.

Ele saiu para procurar emprego e conseguiu com uma pessoa daquela terra. Êste o mandou para sua chácara para cuidar dos porcos. O jovem queria se saciar com as vagens que os porcos comiam mas ninguém lhe dava.

Então, caindo em si, pensou:

"Quantos operários na casa de meu pai têm pão em abundância e eu aqui morrendo de fome. Me levantarei e irei até o meu pai e lhe direi: "Pai, pequei contra o céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado de teu filho; trata-me como um de seus operários".

Levantou-se e foi para o seu pai.

De longe, o pai o avistou e movido pela compaixão correu ao seu encontro e o abraço e o beijou.

O filho lhe disse: "Pai, pequei contra o céu e contra ti, já não sou digno de ser chamado de teu filho".

Então, o pai disse aos seus servos: "Depressa, tragam a melhor túnica para vestí-lo e ponham um anel no seu dedo e sapatos nos pés. Tragam também um novilho bem gordo e mate-o. Vamos comer e nos alegrar porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido mas foi encontrado". E começaram o banquete.

O filho mais velho estava no campo. Quando voltou, ao se aproximar da casa, ouviu música e cantoria. Chamou um dos server e perguntou o que era aquilo. Este lhe disse: "O teu irmão chegou e teu pai mandou matar um novilho gordo, porque o encontrou salvo".

O filho mais velho se indignou e não quiz entrar, mas o pai foi acalmá-lo. Respondendo, êle disse ao pai: "Há muitos anos que eu lhe sirvo e nunca desobedeci às tuas órdens. Entretanto nunca me deste um cabrito para eu me banquetear com meus amigos. Apenas acabou de chegar este teu filho que gastou todos os seus bens com meretrizes, mandou matar para ele um novilho gordo".

O pai então disse: "Filho, você sempre esteve comigo e tudo o que é meu é teu também. Porém era necessário que participassemos de um banquete e que tivessemos alegria, porque o seu irmão estava morto e agora vive, estava perdido e agora foi encontrado".

Lucas 15, 11-32


 

 

VOLTAR PARA VER MAIS HISTÓRIAS >>>