A ESSÊNCIA DE RUMI

Todo dia eu penso, então a noite eu digo:
De onde terei vindo e o que se espera de mim?
Não tenho idéia.
Minha alma vem de algum outro lugar, estou certo disso,
e espero terminar lá.
Esta embriagues começou em alguma outra taverna.
Quando voltar àquele lugar,
Estarei completamente sóbrio. Enquanto isso,
Sou como um pássaro de outro continente, sentado nesta gaiola.
O dia está chegando quando eu levanto vôo,
mas quem é esse em meu ouvido, que ouve minha voz?
Quem diz palavras com minha boca?
Quem olha com meus olhos? O que é a alma?
Não posso parar de perguntar.
Se pudesse experimentar uma gota de uma resposta,
Eu poderia romper esta prisão para bêbados.
Eu não vim para cá espontaneamente, e não posso sair desta forma.
Quem quer que tenha me trazido aqui terá que levar-me para casa.
Esta poesia... Eu nunca sei o que irei dizer.
Eu não a planejo.
Quando eu estou de fora, dizendo-a
Eu fico muito quieto e raramente falo algo.

Nós temos um enorme barril de vinho, mas não temos copos.
Isso está bem para nós. Toda a manhã
nós bebemos e a noite, bebemos novamente.
Eles dizem que não há futuro para nós. Eles estão certos,
O que está muito bem para nós.

Existe uma comunidade do espírito.
Junte-se a ela e sinta a delícia de caminhar numa rua barulhenta
sendo o barulho.
Beba toda a sua paixão,
e seja um desgraçado.
Feche os dois olhos
para ver com um outro olho.
Abra suas mãos,
se você deseja ser agarrado.
Sente-se neste círculo.
Pare de agir como um lobo, e sinta
o amor do cordeiro preenchendo-o
A noite, seu amado vagueia.
Não se deixe consolar.
Feche sua boca à comida.
Experimente a boca do amado na sua.
Você geme, "ela me deixou... ele me deixou."
Vinte mais virão.
Esvazie-se das preocupações.
Pense em quem criou o pensamento!
Por que você permanece na prisão
Quando a porta está tão amplamente aberta?
Saia para fora do emaranhado dos pensamentos medrosos.
Viva em silêncio.
Deixe-se fluir nos sempre amplos
anéis do ser.

Existe um estranho frenesi em minha cabeça,
de pássaros voando,
cada partícula girando em torno de si mesma.
Aquele que eu amo está em tudo?

Os bêbados têm medo da polícia,
Mas os policiais estão bêbados também.
As pessoas desta cidade amam a ambos,
como diferentes peças de xadrez.

Ouça o poeta Sanai,
que viveu recluso: "Não vagueie pela rua
em seu êxtase. Durma na taverna".
Quando um bêbado sai para a rua,
as crianças zombam dele.
Ele cai na lama.
Ele entra em toda e qualquer via.
As crianças vão atrás,
sem saber nada do sabor do vinho, ou como
é a embriagues dele. Todas as pessoas nesse planeta
são crianças, exceto uns poucos.
Ninguém cresce a não ser aqueles livres de desejos.
Deus disse,
"O mundo é uma brincadeira, um jogo de crianças,
e você é uma delas".
Deus fala a verdade.
Se você não deixar o jogo,
como poderá ser um adulto?
Sem pureza de espírito,
se você está no meio da luxúria e cobiça
e outros desejos, você é como uma criança brincando numa relação sexual.
Eles lutam
e se esfregam um no outro, mas isso não é sexo!
O mesmo acontece com as lutas do ser humano.
São como uma briga com espadas para brincar.
Nenhum propósito, totalmente fúteis.
Como crianças em cavalos de pau, soldados que afirmam praticar equitação
Boraq, o cavalo de Maomé, ou Duldul, sua mula.
Suas ações, bem como o sexo e as guerras que você faz, não significam nada
Você está segurando parte de seu fôlego e se empertigando,
Não espere até a sua morte para ver isso.
Reconheça que sua imaginação e seu pensamento
e suas percepções são pedaços de pau
que as crianças cortam e fingem serem cavalos.
O conhecimento do amor místico é diferente.
O empírico, o sensorial, as ciências
são como um asno carregado de livros,
ou como a maquiagem de uma mulher maquiada.
Pode ser lavado.
Mas se você carrega a bagagem de forma correta, ela trará alegria.
Não carregue a bagagem de seu conhecimento por alguma razão egoísta.
Evite seus desejos e propensões
e uma verdadeira bagagem poderá aparecer para você.
Não se satisfaça com o nome Hwu (Ele),
ou apenas com palavras sobre isso.
Experiencie essa respiração.
Dos livros e palavras vem a fantasia,
e às vezes, da fantasia vem a união.

No ano que passou, eu admirei vinhos. Neste,
perambulo dentro deste mundo vermelho.
No ano que passou, eu contemplei o fogo.
Neste ano sou como carne queimada.
A sede me levou em direção à água
onde eu bebi o reflexo da lua.
Agora eu sou um leão com o olhar fixo
totalmente perdido em amor com o próprio objeto da paixão.
Não me faça perguntas sobre a saudade.
Olhe para minha face.
A alma embriagada, o corpo arruinado, ambos sentados
sem esperança, em uma carroça destroçada.
Ninguém sabe como consertá-la.
E meu coração, andei dizendo que ele era mais como
uma mula afundando em um lodaçal,
se debatendo e afundando cada vez mais.
Mas ouça-me: por um momento,
saia da tristeza. Ouça as bênçãos
gotejando seus botões
à sua volta. Deus.

Esta é uma velha regra que os bêbados devem questionar
e combater.
The lover is just as bad. Ele cai em um buraco.
Mas no fundo desse buraco ele encontra algo brilhando,
mais valioso que todo o dinheiro ou poder.
Na noite passada a lua surgiu espalhando suas vestes pela rua.
Eu tomei isso como um sinal para começar a cantar, E cai dentro do cálice do céu.
O cálice quebra. Tudo está caindo dentro de tudo.
Nada mais pode ser feito.
Aqui está a regra nova: quebre o copo de vinho,
e se deixe cair em direção à respiração do assoprador de vidros.

O amante desperto, falava diretamente ao amado,
"Você é o céu em torno do qual meu espírito gira,
o amor dentro do amor, o lugar de ressurreição.
Deixe esta janela ser seu ouvido.
Eu perdi a consciência muitas vezes
ansiando por seu silêncio audível,
e por seu sorriso vivaz.
Você deu atenção para as coisas mais pequenas,
minhas dúvidas e suspeitas, e para as maiores.
Você sabe que minhas moedas são falsas,
mas você as aceitou da mesma forma,
minha insolência e fingimento!
Tenho cinco coisas para dizer,
cinco dedos para dar
em sua graça.
Primeiro, quando estou separado de você
este mundo não existe
e nem nenhum outro.
Segundo, o que quer que seja que eu procure
é sempre você.
Terceiro, por que eu aprendi um dia a contar até três?
Quarto, meu campo de milho está queimando!
Quinto, este dedo se ergue por Rabia,
e este é para um outro alguém.
Existe diferença?
Será isto palavras ou lágrimas?
É uma fala chorosa?
O que posso fazer, meu amor?"
Então ele falou, e todos ao redor
começaram a chorar com ele, rindo como loucos,
gemendo em uma união expansiva
do amante e amado.
Esta é a verdadeira religião. Todas as outras
são como bandagens velhas perto desta.
Este é o samá da escravidão e do domínio
dançando juntos. Isto é não-ser.
Nenhuma palavra, ou fato comum
pode expressar isto.
Eu conheço estes dançarinos,
dia e noite canto suas canções
nesta gaiola fenomenal.
Minha alma, não tente responder agora!
Encontre um amigo e esconda-se.
Mas quem pode permanecer escondido?
O segredo do amor está sempre erguendo sua cabeça
para fora de todas as coberturas,
"Aqui estou eu".

Aqui estão os sinais de milagres que você deseja:
Que você chora através da noite e levanta de madrugada, pedindo;
que na ausência daquilo que você pede, seus dias ficam escuros, seu pescoço fino como uma haste; que você abandona
tudo o que é seu, que você sacrifica seus pertences,
sono, saúde, sua cabeça; que o faz freqüentemente
sentar-se em um fogo, como o da madeira de aloés, e o faz sair
para encontrar uma chapa como um capacete surrado.
Quando esses atos de desespero se tornam habituais,
estes são os sinais.
Mas você corre para frente e para trás ouvindo eventos incomuns,
olhando para as faces dos viajantes.
"Por que vocês me olham como um louco?"
Eu perdi um amigo. Por favor, me perdoem.
Uma busca como esta não falha.
Surgirá um viajante que se manterá próximo de você.
Você balbucia indistintamente. Os não iniciados dizem, "Ele está imitando".
Como eles poderiam saber?
A água passa sobre o peixe da praia, a água
cujos sinais eu mencionei.
Perdoe minha confusão.
Como alguém pode se manter em ordem diante disso?
É como contar folhas num jardim,
juntamente com as notas do som da perdiz,
e do corvo.
Algumas vezes a organização
e computação se tornam absurdas.

No final, sozinho,
numa embarcação que sou eu mesmo,
nenhuma luz, nenhuma terra firme em lugar algum,
em meio a um nevoeiro espesso.
Eu tento permanecer na superfície,
embora eu já esteja submerso,
vivendo com o oceano

Às vezes, o por do sol se parece com o nascer do sol?
Você sabe com o que se parece um amor fiel?
Você chora. Você diz que queimou a si mesmo.
Mas você pode pensar em alguém que não tenha ficado
indistinto com a fumaça?

Totalmente consciente, e sem razão, você veio me ver.
Tem alguém aqui? Eu perguntei.
A lua. A lua cheia está dentro da sua casa.
Meus amigos e eu corremos para a rua.
Eu estou aqui dentro, disse a voz no interior da casa, mas nós não estávamos
ouvindo.
Nós estávamos olhando para o céu.
Meu rouxinol soluçava no jardim, como que embriagado.
As pombas voavam com pequenos gemidos, Onde, Onde.
É meia-noite. Toda a vizinhança está acordada, de pé,
na rua, pensando, O ladrão voltou.
O verdadeiro ladrão está lá também, dizendo em voz alta,
Sim, o ladrão está em algum lugar no meio da multidão.
Ninguém prestava atenção.
Veja, eu estou sempre junto a ti significa que quando você busca por Deus,
Deus está no olhar de seus olhos,
Na reflexão da visão, mais perto de ti que tu mesmo,
ou das coisas que te aconteceram. Não há necessidade de ir para fora.
Seja como a neve derretida.
Lave-se de si mesmo.
Uma flor branca cresce quietamente.
Deixe sua língua se transformar nessa flor.

Não me cansei de você.
Não se canse de ter compaixão por mim!
Todos estes equipamentos que envolvem a sede
certamente devem estar fartos de mim,
a jarra, o carregador de água.
Eu tenho um peixe sedento dentro de mim
que nunca pode encontrar o bastante
para aplacar a sede!
Mostre-me o caminho para o oceano!
Quebre essas meias-medidas,
estes pequenos jarros,
Toda essa fantasia
e pesar.
Permita que minha casa seja engolfada na onda
que se ergueu na noite passada fora do pátio
escondido no centro do meu peito.
José desceu como a lua em meu quintal.
A colheita que eu esperava foi lavada.
Mas não importa.
Um fogo se ergueu sobre meu chapéu
Não quero aprender, nem quero dignidade,
ou respeitabilidade.
Eu quero essa música e esse entardecer
e o calor de sua face junto a minha.
Os braços da tristeza se reúnem,
mas eu não vou com eles. -
É assim que sempre acontece
quando eu termino um poema.
Um grande silêncio me envolve,
e eu me pergunto por que eu sempre penso
em usar a linguagem.

Como uma parte do mundo pode deixar o mundo?
Como pode a secura deixar a água?
Não tente apagar o fogo
jogando mais fogo sobre ele!
Às vezes, it's in front!
Apenas um sol aberto e a pino
diminui sua sombra.
Mas esta sombra tem estado a seu serviço!
O que o fere, o abençoa.
A escuridão é a sua chama.
Suas barreiras são sua busca!
Eu posso explicar isso tudo, mas isto quebraria
o vidro que cobre seu coração,
e não há reparo para ele.
Você deve ter tanto uma fonte de luz quanto de sombra.
Ouça, e repouse sua cabeça sob a árvore do espanto.
Quando vindo desta árvore, penas e asas brotarem
em você, fique mais quieto que uma pomba.
Não abra a boca nem mesmo para um pio.

Quando um sapo afunda na água, a serpente
não o pode pegar. Então, quando o sapo sobe e coaxa,
a serpente se move em direção a ele novamente.
Mesmo se o sapo aprender a assobiar, ainda assim a serpente
irá ouvir através do assobio a informação de que ela
precisa, a voz do sapo.
Mas se o sapo puder ficar em completo silêncio,
então a serpente irá dormir,
e o sapo poderá alcançar a cevada.
A alma vive ali, na respiração silenciosa.
E aquele grão de cevada tem como característica o fato de que,
quando colocado no chão,
ele brota.
Estas palavras são suficientes,
ou eu devo espremer mais suco disto?
Quem sou eu, meu amigo?

Você disse: "Quem está à porta?"
Eu disse: "Seu escravo."
Você disse: "O que você quer".
"Ver você e me curvar".
"Quanto tempo você irá esperar?"
"Até que você chame".
"Quanto tempo você irá 'cozinhar'?"
"Até a ressurreição".
Nós falávamos através da porta. Eu afirmava um grande amor e havia
desistido de tudo o que o mundo dá para estar neste amor.
Você disse: "Tal afirmação requer uma testemunha".
Eu disse: "Esta saudade, estas lágrimas".
Você disse: "Estas testemunhas não têm crédito".
Eu disse: "Certamente que têm!"
Você disse: "Com quem você veio?"
"Com a majestosa imaginação que você me deu".
"Por que você veio?"
"O almíscar de seu vinho estava no ar".
"Qual a sua intenção".
"Amizade".
"O que você quer de mim?"
"Graça".
Então você perguntou: "Onde você sentiu maior conforto?"
"No palácio".
"O que você viu lá?"
"Coisas espantosas".
"Então por que está tão desolado?"
"Porque tudo pode ser levado em um segundo".
"O que pode fazer com que isso aconteça?"
"Este discernimento claro ".
"Onde você pode viver em segurança, então?"
"Nos arredores".
"Do que você deve desistir?"
"Da paz que nos salva".
"Não existe nisso uma possibilidade de desastre?"
"Apenas o que vem da sua rua, dentro do seu amor".
"Como você caminha dentro disto?"
"Em perfeição".
Agora silêncio. Se eu disser mais desta conversação, aqueles que a ouvem irão abandonar a
si mesmos.
Não haveria para eles sequer porta, teto ou janela.

Não durma uma noite.
Aquilo que você mais deseja irá vir então.
Aquecido por um sol interno, você verá maravilhas.
Esta noite, não deite sua cabeça.
Permaneça acordado e o poder virá sobre ti.
Aquilo que a adoração adora, aparece a noite. Os que estiverem dormindo, o
perderão.
Uma noite Moisés permaneceu andando e pediu,
E viu uma luz em uma árvore.
Então, ele andou a noite durante 10 anos, até que,
finalmente, ele viu a árvore toda iluminada.
Maomé guiou seu cavalo através do céu da noite.
O dia é para o trabalho. A noite é para o amor.
Não se deixe enfeitiçar.
Algumas pessoas dormem a noite, mas não os amantes.
Eles se sentam na escuridão e falam com Deus, que falou a Davi.
Aqueles que dormem todas as noites e afirmam estar conectados conosco,
eles mentem.
Os amantes não podem dormir quando sentem a privacidade do amado ao
redor.
Alguém que tem sede, pode dormir por um momento, mas ele irá sonhar
com água,
com uma jarra cheia de água ao seu lado, ou com a água espiritual que você
obtém de outra pessoa.
Toda a noite, ouça a conversa. Fique de pé. Este momento é tudo o que há.
A morte irá levar isso embora, cedo demais.
Você irá embora e esta terra será deixada sem um namorado,
nada além de espinhos crescendo em galhos.
Eu me sinto transbordar. Leia o resto deste poema a noite.
Terei eu uma cabeça? Terei eu pés?
Shams, tão amado em Tabriz,
eu fecho meus lábios
E espero por você, para que você venha e os abra.

O que pode ser feito, ó irmãos?
Não sei quem sou!
Não sou Cristão, nem Judeu, nem Mago, nem Muçulmano.
Não sou do Ocidente, nem do Oriente, da terra ou do mar.
Não fui formado pela natureza, nem pelas esferas celestes;
Nem pela terra, água, ar ou fogo.
Não sou rei nem mendigo;
Nem feito de substância ou de forma.
Nem sou da Índia, China, nem de um país fronteiriço;
Nem da Pérsia, nem das terras de Korasan.
Não sou deste mundo e nem do próximo;
Nem do céu, nem do inferno.
Não vim de Adão nem de Eva;
Não moro no Éden nem nos jardins do paraíso;
Meu lugar é um não lugar, minhas pegadas não deixam marca.
Nada é meu, nem corpo nem alma -
Tudo pertence ao coração do meu Amado.
Eu desvesti todas as diferenças,
e agora vejo os dois mundos como um.

Eu chamo, eu busco, eu conheço, eu sou apenas um.
Agora eu te conheço e apenas a ti.
Embriagado pelo vinho do copo do Amor,
os dois mundos deslizaram do meu alcance.
Não deixo nada por fazer aqui
a não ser beber seu vinho
e dançar com delícia.
Se um único momento passar sem ti,
este momento tornará
minha vida inútil
Se alguma vez em minha vida eu tiver um relance de ti
Irei descalçar ambos os mundos,
e dançar em triunfo para sempre.
Ó Shams,
Estou tão inebriado com teu amor
Que perdi o mundo inteiro.
Ao lado do doce sabor de teu vinho
Nenhuma história ficará por ser contada.

Tudo o que tu vês tem suas raízes
no mundo Invisível.
As formas podem mudar,
embora a essência permaneça a mesma.
Todas as visões maravilhosas irão desvanecer,
Toda a palavra doce irá apagar-se.
Mas não fique angustiado,
A Fonte de onde isso tudo vem é eterna -
Cresce e brota,
derramando uma vida nova e novas alegrias
Por que choras? -
Esta Fonte está em ti,
E o mundo inteiro
está jorrando dela.
A Fonte é plena,
Suas águas são perenes;
Não te entristeças,
Beba tua porção!
Não penses que ela irá secar um dia -
Este é um Oceano infinito!

Toda a forma que vês
Tem seu arquétipo no mundo sem-lugar
Se a forma esvanece, não importa,
Permanece o original.
As belas figuras que viste,
As sábias palavras que escutaste,
Não te entristeça se pereceram.
Quando a fonte é abundante,
O rio fornece água sem cessar.
Por que te lamentas se nenhum dos dois se detém?
A alma é a fonte, e as coisas criadas, os rios.
Enquanto a fonte jorra, correm os rios.
Tira da cabeça todo o pesar
E sorve aos borbotões a água deste rio.
Que a água não seca, ela não tem fim.
No momento em que vieste a este mundo
Uma escada foi colocada a tua frente para que tu possas escapar.
Da terra, te tornaste planta,
Da planta, te tornaste animal,
Depois tu te tornaste um ser humano,
Revestido de conhecimento, intelecto e fé.
Contempla o corpo, nascido da poeira -
quão perfeito ele se tornou!
Por que deverias temer teu fim?
Quando fostes diminuído por ter morrido?
Quando tu passardes adiante desta forma humana,
Sem dúvida te tornará um anjo
Em ascensão através dos céus!
Mas não pára neste ponto.
Mesmo os corpos celestes envelhecem.
Ultrapassa os reinos celestes
e mergulha no vasto oceano da Consciência.
Deixe a gota de água que és tu
tornar-se uma centena de mares poderosos.
Mas não pense que apenas a gota
Se torna o Oceano -
o Oceano, também, se torna a gota!
Abandona esse filho que chamas corpo
E diz sempre “Um” com toda a tua alma.
Se teu corpo envelhece, que importa?
Ainda é fresca tua alma.

Ouve a música do samá.
Vem unir-te ao som dos tambores!
Aqui celebramos:
somos todos Al-Hallaj dizendo: “Eu sou a Verdade!”
Em êxtase estamos.
Embriagados sim, mas de um vinho
que não se colhe na videira;
O que quer que pensem de nós
em nada parecerá com o que somos.
Giramos e giramos em êxtase.
Esta é a noite do sama
Há luz agora.
- Luz ! Luz!
Eis o amor verdadeiro
que diz a mente: adeus.
Este é o dia do adeus.
- Adeus ! Adeus !
Todo coração que arde
nesta noite
é amigo da música.
Ardendo por teus lábios
meu coração
transborda de minha boca.
Silêncio!
És feito de pensamento, afeto e paixão.
O que resta é nada
além de carne e ossos.
Por que nos falam
de templos de oração,
de atos piedosos?
Somos o caçador e a caça, Outono e primavera,
Noite e dia,
O Visível e o Invisível.
Somos o tesouro do espírito.
Somos a alma do mundo,
livres do peso que vergasta o corpo.
Prisioneiros não somos
do tempo nem do espaço
nem mesmo da terra que pisamos.
No amor fomos gerados.
No amor nascemos.

Finalmente partiste para o invisível.
Estranho rumo seguiste para deixar este mundo.
A força de tuas asas rompeu a gaiola,
ganhaste os ares e voaste para o mundo da alma.
Eras o falcão favorito do rei
Nas mãos de alguma anciã,
Mas ao ouvir o tambor
escapaste para o não lugar.
Eras um rouxinol entre corujas
Mas a fragrâncias das rosas te envolveu
e correste para o jardim.
O vinho rude que tomaste entre nós
te faz doer a cabeça;
finalmente chegaste à taverna perene.
Como uma flecha, foste certeiro ao alvo da alegria.
O mundo, feito um espectro,
quis enganar-te com falsas pistas,
Mas te recusaste a segui-las
e foste direto ao que não deixa rastros.
Se és o sol, o que farás de tua coroa?
Como irás usa-la
agora que abraçaste a noite?
Ah coração, mais rara das aves,
sempre em busca da atenção do céu,
como um escudo voaste para a ponta da lança!
As rosas fogem do outono,
e tu rosa, tola,
a seus braços frios te entregaste.
Caída como chuva de outro espaço
Sobre nosso mundo de sombra,
quiseste fugir por todas as direções
e pelas entranhas da terra escapaste.
Silêncio.
Liberta-te da dor da fala.
Não durma, agora que encontraste o abrigo
junto ao amigo querido.

Desde o princípio,
ele é o meu guia.
Procuro meu coração,
ele é seu conquistador.
Luto pela paz,
ele intercede por mim.
Vou à guerra,
ele é meu punhal. Chego à festa,
ele é o doce vinho.
Entro no jardim,
ele é o narciso.
Desço às entranhas da terra,
ele é o rubi e a cornalina.
Mergulho no fundo do mar,
ele é a pérola que encontro.
Cruzo o deserto,
ele é o oásis.
Ascendo às esferas celestes,
ele é a estrela
Se me lanço à frente,
ele é o meu peito.
E se ardo de mágoa,
ele é o incensório.
Quando começa a batalha,
Ele guarda meus flancos
E conduz meu exército.
Se vou ao banquete,
ele é o saqi, o menestrel e a taça
Escrevo aos amigos.
ele é tinta, papel e pena
Quando desperto, ele é minha nova consciência.
Quando adormeço,
ele é o dono de meus sonhos
Se procuro rima para o meu poema
ele a encontra depressa em minha mente
Como o pintor e o pincel
ele está acima de qualquer pintura
Não importa de que altura olhes,
ele está ainda mais alto
que o máximo que alcançaste
Vai, abandona os livros e a retórica
- deixa que ele seja o teu livro.
Silêncio!
As seis direções são raios de sua luz;
E além das direções é ele quem governa.
Escolhi o teu prazer em lugar do meu.
É meu o teu segredo,
Por isso guardo-o comigo, escondido no peito.
Maravilhoso Shams, Sol de Tabriz!
És em tudo merecedor de ti mesmo,
como o Sol!

A cada instante, vindo de todos os lugares, ressoa o chamado do Amor:
Estamos indo para o céu. Quem deseja vir conosco?
Fomos para o paraíso e temos sido amigos dos anjos,
E agora iremos voltar para lá, pois este é o nosso país.
Estamos acima do paraíso, somos mais nobres que os anjos:
Por que não ir além deles? Nossa meta é a Suprema Majestade.
O que esta fina pérola tem a ver com o mundo da poeira?
Por que você veio aqui para baixo? Pegue sua bagagem de volta. O que é este
lugar?
A sorte está conosco, conosco está o sacrifício...
Como os pássaros do mar, os homens vêm do oceano -
o oceano da alma. Como poderia esse pássaro, nascido do mar, fazer sua morada aqui?
Não, nós somos as pérolas do coração do mar, é lá que nós moramos;
Do contrário, como poderia a onda suceder a onda que vem da alma?
A onda chamada 'Não sou Eu o Teu Senhor?' chegou; ela quebrou o vaso do
corpo;
E quando o vaso se quebra, a visão volta,
e a união com Ele também.

Este sou eu, um self que compartilha da matéria insensível,
E eu, saído da matéria muda a morrer.
Era eu, então, o verde vigor da vinha,
E eu, no meio das folhas murchas que morreram.
Era eu, aquela onda vibrante nas veias dos animais,
E eu, purgado pela morte, a erguer-me novamente.
Este sou eu agora, o homem, que deve morrer,
mas o “eu” irá sempre erguer-se,
Até estar de braço dado com a asa dos anjos, a lidar com as alturas
estreladas.
Mas mais alto ainda que as asas dos anjos podem elevar-se,
O “eu” irá erguer-se, sempre em busca por mais,
Até despedir-se das asas dos anjos, para além dos limites das palavras,
E erguer-se, desaparecendo além do alcance da imaginação.
E plena de contentamento será a passagem para além de todas as coisas,
A eterna liberação que a morte finalmente traz.
Pois está escrito que quando a morte entoar seu refrão final,
Todas as coisas passarão e só a Face permanecerá.

Oh amigo, você não vê?
Sua face está brilhando com luz.
O mundo inteiro se embriagaria
Com o amor encontrado em seu coração.
Não corra para lá ou para cá
Buscando ao redor de você –
Ele está em você.
Existe algum lugar onde o sol não brilha?
Existe alguém que não pode ver a lua cheia?
Véu sobre véu, pensamento sobre pensamento –
Deixe-os todos irem,
Pois eles apenas ocultam a verdade.
Uma vez que você vê a glória
De sua face semelhante à lua,
Que desculpas você teria
Para a dor e a tristeza?
Qualquer coração sem seu amor -
Mesmo o coração de um rei –
É um caixão para cadáveres.
Todos podem ver a Deus
Com seu próprio coração –
Todos os que não estão mortos.
Todos podem beber
Das águas da vida
E conquistar a morte para sempre.
O véu da ignorância
Cobre a lua e o sol;
Ele até faz o amor pensar, ‘Eu não sou divino.’
Oh Shams, Luz Fulgurante de Tabriz,
Existem ainda, alguns segredos teus
Que nem eu posso contar.

Em sua luz
Eu aprendi a amar.
Em sua beleza
Aprendi a fazer poemas.
Você dança dentro do meu peito
Onde ninguém o vê
Mas às vezes, eu o vejo
E esta visão
Se transforma nesta arte.

 

 

VOLTAR PARA VER MAIS HISTÓRIAS >>>